Um scan apressado e uma entrevista 'a la felícia'

>> 20080728




Nota: são 3 imagens (clique em cada uma para ampliar)

Fonte: Expresso, 26 de Julho de 2008, página 30 (mais aqui)

22 comentários:

Anónimo,  segunda-feira, 28 de julho de 2008 às 02:36:00 WEST  

Depois desta entrevista RH disse em Ovar que tinha confianca em Xanana e no governo da AMP e que devia-se dar tempo para resolverem os restantes problemas.

Esta entrevista, julgando pelo tipo de perguntas, foi obviamente desenhada para dar continuidade as insinuacoes da propaganda Fretilinesca e nota-se nitidamente tambem que algumas respostas nao estao em completa sintonia com as perguntas.

Anónimo,  segunda-feira, 28 de julho de 2008 às 02:37:00 WEST  

Xanana continua a ser, sem margem para duvidas, a melhor aposta para o futuro de Timor.

Moriae segunda-feira, 28 de julho de 2008 às 02:56:00 WEST  

Anónimo das 2:36 AM,

agradeço o comentário e o facto de relembrar as palavras, citadas por vários media, em Ovar. Assim, já coloquei uma cópia de uma das várias fontes que referem este elogio de Ramos-Horta ao IV Governo e a Xanana.

Bem-haja,
M.

Moriae segunda-feira, 28 de julho de 2008 às 03:01:00 WEST  

Anónimo das 2:37,

não sou timorense e não conheço Xanana mas ... ele é Timor. Tem sido a sua vida. Não será algo assim? E ... quanto ao futuro, espero que X. tenha muito tempo para descansar, estar com a família e o que bem entender.
Estou 'por fora' mas ... quantos anos tem estado X. na frente?

Boa semana,
M.

Anónimo,  terça-feira, 29 de julho de 2008 às 01:37:00 WEST  

Moriae,

Eu sou timorense e tem toda a razao. Na realidade e apesar da campanha concertada da Fretilin para denegrir a figura de Kay Rala Xanana Gusmao, continua a ser um facto indesmentivel que Xanana representou e continua a representar a luta do povo por uma vida mais digna. Ele lutou, riu e chorou juntamente com o povo. Passou pelos rigores de uma vida inteira de luta pela causa que nunca deixou de acreditar, mesmo quando muitos o tenham feito.
Para ilustrar o seu sentido de abnegacao dou um pequeno grande exemplo da fibra do homem que e' Kay Rala Xanana Gusmao.

O que se segue e' um facto veridico, indesmentivel.

Em 1999 quando a Indonesia estava entre a espada e a parede da comunidade internacional e estava sob fortes pressoes para libertar Xanana decidiram tambem que o iriam eliminar ao insistir que ele fosse libertado e mandado de volta para Dili para ser entregue a responsabilidade da UNAMET.

Naquela altura ja o plano da completa destruicao de Timor estava em pleno andamento, o pais estava a arder e os cidadaos a serem massacrados. A UNAMET, ou o que restava da UNAMET, estava encurralada nas suas instalacoes em Matadouro (um bairro de Dili) juntamente com mais de 2000 refugiados, e os seus agentes policiais, desarmados como sempre estiveram, nem podiam garantir a sua propria seguranca.
As instalacoes estavam completamente cercadas pelos milicias pro-integracionistas e militares Indonesios. As milicias, encorajadas pelos seus apoiantes militares ameacavam atacar e iam disparando alguns tiros esporadicos contra as instalacoes. Os indonesios queriam entregar Xanana a esse pequeno e restante contingente da UNAMET que nem sequer podia garantoir a defesa das suas proprias pessoas.

Xanana Gusmao por sua vez aceitou as condicoes da sua entrega a UNAMET em Dili. O homem estava a passar por uma grande angustia e sentia que nada podia fazer na prisao onde estava enquanto o seu povo era massacrado. Estava com pressa de voltar a Timor e juntar-se ao seu povo. Por sua vez, os guerrilheiros das FALINTIL que se encontravam nas redondezas de Dare estavam prontos e resolutos a descer das suas montanhas para Matadouro e morrerrem ate ao ultimo homem se necessario para defender o seu Comandante Supremo.

Claro que as intencoes assassinas dos indonesios eram demasiado obvias e logo a partida o plano indonesio de entregar Xanana a UNAMET em Dili levantaram todas as suspeitas e alarmes. Xanana foi alertado para esse facto e aconselhado a rejeitar as condicoes da sua entrega. Obstinado, Xanana disse que nao, que aceitava e que ia para Dili. Foi-lhe dito que ia ser entregue a morte e que nao devia la ir. Xanana insistia que nao tinha medo da morte, que se morresse seria somente mais um entre milhares de bravos guerrilheiros e simples cidadaos Timorenses que ja tinham dado as suas vivas pela patria.

Nessa altura os apoiantes timorenses que o rodeavam na sua casa-prisao em Salemba estavam desesperados pois viam que nao conseguiam convence-lo a nao aceitar ser entregue em Dili.
Numa ultima tentativa desesperada de dissuadir Xanana contactaram os seus colegas na diaspora a pedir que lancassem uma campanha de apelo a todos os grupos de soliedariedade internacional conhecidos e lhes encorajassem a enviar mensagens a Xanana aconselhando-o a nao ir para Dili. Para dizer a Xanana que se ele se interesssava verdadeiramente pelo destino do seu povo, a sua morte de nada contribuiria para parar as matancas que estavam a acontecer em Timor. Para lhe dizer que se Xanana se interessava verdadeiramente pelo seu povo faria melhor ficar vivo e deslocar-se a Nova Iorke para pedir a ONU que intervisse imediatamente em Timor. So assim Xanana poderia fazer algo para parar o massacre do seu povo.
O maquina fax na sua casa-prisao em Salemba entrou em funcionamento permanente e nao conseguia aguentar com a quantidade de telegramas que recebia de todos os cantos do mundo. Emperrou.

Apos uma breve pausa que mais parecia uma eternidade, pudemos todos dar um suspiro de grande alivio. Chegavam-nos as noticias de que Xanana tinha reconhecido o peso da razao dos argumentos nas mensagens e dicidira deslocar-se a Nova Iorke para enderecar a Conselho de Seguranca da ONU.

O resto ja todos sabem.

Esta historia e' veridica mas nao e' do conhecimento geral, nem do proprio povo Timorense nem dos povos da comunidade internacional. Conto-a porque a conheco muitissimo bem. Tambem vivi a angustia daquele momento.
Um dia quando a historia de Timor for escrita, este sera um dos espisodios que tera que necessariamente estar escrita nas suas paginas para que as futuras geracoes de Timorenses possam saber quem e' e quem foi Kay Rala Xanana Gusmao, Comandante Supremo das FALINTIL, nas montanhas, vales e cidades de Timor e mesmo nas prisoes da Indonesia.

Um dia...

Lenalorosae terça-feira, 29 de julho de 2008 às 02:05:00 WEST  

Amigo timorense, do comentário anterior:

Muito obrigada pelo seu tocante e importantissimo testemunho!

É bom que haja pessoas que não deixem esquecer quenm foi e é Kay Rala Xanana Gusmão!

Como ele viveu, sofreu e lutou por com o seu Povo e ao lado do seu Povo, com um único objectivo - libertar a Pátria maubere e 'dar' uma Nação aos timorenses!

Nestes tempos em que muitos tentam, sem grande resultado, denegrir a sua imagem, é bom que apareçam vozes como esta, para relembrar, para que a memória não se apague!...

Viva Timor-Leste!

tou terça-feira, 29 de julho de 2008 às 06:46:00 WEST  

Já se entendeu que há pontos de não retorno. A despartidarização das Falintil feita por Xanana foi a estratégia certa. As Falintil deveriam servir o Povo e não apenas parte dele.

Libertada a Pátria, libertemos o Povo!

Ou tem razão ou não tem.

Quantas vezes os sapientes "doutores" disseram que o homem vacilou, que havia cedido, que se havia entregue, que foi traidor, que isto, que aquilo...? Quantas foram as vezes que não perceberam a estratégia de Kay Rala Xanana Gusmão?

Várias vezes, é verdade.

Une de novo o Povo que uns fizeram separar. Mais uma vez, os mesmos de sempre o querem manipular. Mas não dá. Estas pessoas estão a perder a cara.

Já basta: de violência porque os irmãos ficam desavindos; porque as casas são queimadas; porque se matam a tiro ou de catana na mão; de rama-hambon; porque não há justiça feita porque uns se acham mais que outros...

Força Xanana! Estamos contigo sempre!

Anónimo,  terça-feira, 29 de julho de 2008 às 12:30:00 WEST  

Mas antes do "herói" ir à ONU esteve uns meses alojado na Embaixada Britânica e a passear pela Austrália, não é verdade? Ganda "herói"!

Lenalorosae terça-feira, 29 de julho de 2008 às 12:39:00 WEST  

Por muito que tentem denegrir e manchar o nome de Xanana, não vão conseguir!...

Aliás, essas afirmações que faz, são facilmente desmontaveis - em que altura/data, desde a libertação da casa-prisao de Salemba e a ida à ONU e o regresso a Dili (tudo datas que nao tenho agora aqui mas que se podem facilmente comprovar), é que Xanana "andou uns meses pela Austrália" ?!...

Gostariamos que apresentasse factos concretos, em vez de lançar "bocas" para o ar.

Ficariamos todos mais esclarecidos.

Doa a quem doer - a Verdade acima de tudo!

Anónimo,  terça-feira, 29 de julho de 2008 às 13:54:00 WEST  

Como também toda a gente conhece a rábula do valentão a umas centenas de km tipo, agarrem-me que eu parto-o todo!

Anónimo,  terça-feira, 29 de julho de 2008 às 14:33:00 WEST  

Agarrem-me, agarrem-me que eu quero morrer com eles... depois de passear pela Austrália e pelo mundo, claro. E só voltou com as costas bem defendidas... por tropas Australianas. Bruxo!

Moriae terça-feira, 29 de julho de 2008 às 16:43:00 WEST  

Caro anónimo (Julho 29, 2008 1:37 AM,

agradeço-lhe as suas palavras e atenção. O que relata não me surpreende minimamente porque, apesar de não conhecer X. pessoalmente, tenho a sorte de poder ter lido alguns dos seus textos (ALGUNS TEXTOS DE LEITURA OBRIGATÓRIA)e livros que o referem assim como a toda a história de sobrevivência do povo timorense.

Solidariedade,
M.

tou terça-feira, 29 de julho de 2008 às 17:32:00 WEST  

Não sei se os anónimos, "economistas" do tempo ao quererem aqui fazer o jogo da mentira como o fazem por outras paragens, quererão porventura fazer passar informações erradas e de tanto insistentemente as escreverem, acreditarem ou fazer com que os outros acreditem e que se tornam verdades?!

Sabem eles e sabemos nós que isso jamais será possível. Por muita mentira, omissão, deturpação, semi-verdades, aqui, vai subsistir a verdade acimjavascript:void(0)a de tudo! Doa a quem doer. Xanana sempre disse que não tinha receio de ser preso pois ele próprio assumiria ser traidor
perante o Povo... essa frontalidade não têm aqueles que antes, durante e depois o utilizaram, a ele sim, para os seus objectivos mais obscuros. Como agora se confirma cada vez mais. Ele foi o trampolim para aqueles que habituados a uma máquina de propaganda política deu como consequência lutas sangrentas. Exemplos não faltam. O que falta é não repetir esses mesmos erros. Venham-me lá dizer que é sempre assim; que os processos dee libertação são XPTO et e tal... NÃO, BASTA DE VIOLÊNCIA!

Inclusivé, basta de violência política por muito democrática que seja essa luta, em Timor-Leste, verifica-se que essa luta terá, a exemplo do conhecido, efeitos devastadores.

Ninguém ganhará com isso...

Anónimo,  terça-feira, 29 de julho de 2008 às 17:59:00 WEST  

Seria interessante de saber quem é a personagem que mente mais acima sobre os "meses", certamente que se iria ter a surpreendente situação de ser, talvez, algum daqueles que no Setembro Negro de 99 se movia por...

Lembro-me como se fosse hoje, de uma série de reacções de pessoas em frente à embaixada dos EUA em Lisboa, perante manifestantes timorenses que tiveram empunhada uma bandeira dos EUA com 4 letrinhas apenas a preto ... HELP

Ouviu-se de tudo: "não tens vergonha de pedir ajuda a esses gajos?"; "opá baixa isso"... entre outros mimos da mesma família.

Dos membros permanentes da ONUE, esta bandeira era a única no local. Não havia nenhuma outra... da República Popular da China, da República Francesa, da Federação Russa, do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte... NENHUMA... todavia fez-se o Cordão Humano Por Timora ligar a 5 embaixadas.

Era exactamente essa a questão. Afinal os que mandavam bocas (e mandam como se vê) não queriam melindrar as suas cores políticas. Não era assim que eu ali estava, como não era assim que ali estava muita gente. Nisso até a direita portuguesa esteve mais à frente da defesa do Povo timorense. Não se lembram do abaixo assinado de O Independente? Sem Timor não há Maastrich? (era assim o título, não era?)

Não sou de direita. Nada disso me interessa.

Essa bandeira "ardeu" pelas 18h... as únicas câmaras que a filmaram foram as que interessava - as da embaixada dos EUA em Lisboa e previligiou-se os repórteres fotográficos que naquela posição estavam. As nossas televisões estavam ocupadas e ainda bem, com coisas mais importantes: uma pequena delegação que contemplava pessoas da direita à esquerda, religiosos, pessoas importantes que estava a sair os portões da embaixada ou de um timorense em estado de dor agarrado às grades da dita...

Aqueles que hoje e ontem se colocaram contra Xanana não sabem certamente o que fazem.

Certamente aquilo que pretendiam era que Xanana fosse abatido... aquela mudança do Comando da Luta para o interior era um herança pesada. Algo que nunca, intimamente, será desculpa pelos que o atacam. Já aí lhe chamaram traidor!

Afinal quem andou "a passear" meses, anos, não foi ele. Isso com toda a certeza. A História o dirá.

Anónimo,  terça-feira, 29 de julho de 2008 às 20:35:00 WEST  

Está visto que este inocente ou não sabe quando o "herói" regressou a Díli ou nem contas sabe fazer...

Anónimo,  quarta-feira, 30 de julho de 2008 às 04:04:00 WEST  

Estou mesmo a ver que este ultimo e' daqueles que queriam mesmo que Xanana voltasse imediatamente para Timor quando os militares indonesios e as suas milicias ainda estavam bem activas e as Interfet estavam a demorar uma eternidade para desdobrarem por todo o territorio pois assim arranjava-se uma maneira de o limpar.

Que sorte seria para Mari e a sua clique se assim tivesse acontecido.

Hoje ainda estavam a reinar e nunca teriam tido todas estas dores de cabeca.
Talvez chorariam umas lagrimas de crocodilo mas o reinado dos 50-100 continuaria a todo o vapor.

Mas pelo menos ja e' alguma coisa que nao tenha sequer tentado desmentir o episodio que foi descrito acima. Obviamente porque sabe que e' verdade e falizmente e apesar de nao ser do conhecimento geral ainda sao muitos os que sabem que e' verdade.

Senhores camaradas da Fretilin Maputo, estamos todos fartinhos da vossa campanha de denegrir aqueles que nao fizeram outra coisa senao defender o povo e a patria a sua vida inteira. Nao somos so nos mas tambem 50% dos vossos proprios militantes que decidiram virar-vos as costas nas ultimas eleicoes.
E voces na vossa cegueira sectaria nem conseguem parar para perguntar-vos a vos mesmos como e' que isso podera ter acontecido e porque.

E' que um bate-cu de 56% para 29% em apenas 5 anos e' realmente uma tamanha obra. Esse e' o legado que Mari Alkatiri e a sua clique deixam para a Fretilin.

O povo ja abriu os olhos e ha mais para vir em 2012.

Anónimo,  quarta-feira, 30 de julho de 2008 às 12:34:00 WEST  

Afinal o gajo foi mesmo passear ao estrangeiro...

Anónimo,  quarta-feira, 30 de julho de 2008 às 12:38:00 WEST  

...e "o episodio" não passou daquelas rábulas de muita berraria, muita lágrima de crocodilo de que é especialista.

Anónimo,  quarta-feira, 30 de julho de 2008 às 13:29:00 WEST  

Então e o anónimo de Julho 30, 2008 12:34 PM e Julho 30, 2008 12:38 PM não chora à quanto tempo? Desde essa altura? Ou era daqueles que já tinha em mente o "ataque" ao comandante?...

Será que a lágrima de crocodilo não será a lágrima por Timor? Veja lá isso que pelos vistos talvez fosse melhor a "secura" de outros, não? Pelos vistos não quiseram "essa secura". A ilha do Crocodilo tem lágrimas... claro e só podia ser do Crocodilo. Há também o Crocodilo Voador... pode escolher.

Anónimo,  quinta-feira, 31 de julho de 2008 às 01:26:00 WEST  

A passear no estrangeiro foi o que Mari Alkatiri fez durante 24 anos e segundo diz o seu camarada Rogerio Lobato em Mocambique a fazer criacao de galinhas e coelhos para o seu proveito proprio.

Xanana Gusmao pelo contrario lutou e liderou a luta de libertacao nacional 24 anos, foi preso e libertado no dia 7 de Setembro de 1999, esteve na Australia a fazer exames medicos e a recuperar durante uns dias e partiu novamente para os Estados Unidos e a Europa onde foi recebido como um autentico chefe de estado. Na America recebeu o mais alto nivel de seguranca reservado ao mais importantes chefes de estado. Durante esse tempo Xanana manteve constantes encontros e conversacoes para assegurar uma rapida intervencao da ONU e apoio da comunidade internacional para Timor. A 22 de Outubro do mesmo ano regressa a Dili onde e' recebido por milhares de seus concidadaos como Heroi da libertacao nacional.

Viva Xanana!!

Enviar um comentário

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP