A SAGA das telenovelas vai invadir Timor ... [II]

>> 20090225

Artigo de O Tempo Online com ilustrações repescadas da net, relacionadas por ordem de aparição com as referências em texto. Clicando nelas, chega à fonte.
"A Rede Globo ampliou os seus horizontes e chegou com suas produções ao Timor Leste. O país, a partir deste mês, pode acompanhar programas da emissora como novelas, documentários e séries produzidas aqui no Brasil.


A parceira feita entre a Globo e a RTTL (Radio e Televisão do Timor Leste) é de 3 mil horas de programação diversificada e vai até 2014.



A primeira novela exibida no canal será "Sinhá Moça" e ainda estão agendados para 2009 "A Diarista", "A Grande Família", "Malhação" e "Sítio do Pica-Pau Amarelo", entre outras produções globais.


As línguas oficiais do Timor Leste, que fica na Ásia, são o português e o tétum." ("Globo fecha pacote com TV do Timor Leste" (O Tempo Online Publicado em: 25/02/2009 )

Comentário pessoal
... "Sinhá Moça", "A Diarista", "A Grande Família", "Malhação" e "Sítio do Pica-Pau Amarelo", poderão ser programas de grande interesse pedagógico e cultural e talvez, em acordo com as regras do Acordo Ortográfico. Caracterizam-se também pela extrema actualidade e interesse do ponto de vista da formação das crianças, jovens e povo timorense em geral.
Mais poderia ser dito mas não tenho qualquer vontade. 3 mil horas, i.e. o equivalente a 125 dias dessa programação até 2014 parece-me um exagero e algo descontextualizado mas, a minha opinião vale o que vale ...
Pode ser que as novelas, algumas com 20 anos, de realidades totalmente díspares e afastadas da timorense, apareçam legendadas em Tétum e Português em vigor.

Todos cometemos erros e a arte está em aprender a viver com eles.

8 comentários:

João Paulo Esperança sábado, 28 de fevereiro de 2009 às 01:48:00 WET  

Bem, Margarida, parece-me que temos opinioes radicalmente diferentes sobre este assunto. A RTPint anda a exibir o "Salta Pocinhas" em desenhos animados, que ja eh bem antigo, e eu so nao gosto do facto de nao ser legendado em tetum (ate porque o portugues de Aquilino, mesmo algo simplificado, nao eh facil para as criancas timorenses).

Vi uns episodios da Sinha Moca em tempos porque alguem me tinha chamado a atencao para a existencia de personagens capoeiristas, e achei que era um enredo bastante interessante, sobre os periodo da luta pela abolicao da escravatura no Brasil. Nao costumo ver muitas telenovelas (mesmo quando me parecem interessantes), principalmente por uma questao de tempo, mas nao vejo mal nenhum em os timorenses saberem mais sobre essa epoca da historia de um outro pais "irmao".
Tambem discordamos - e muito - em relacao as "realidades totalmente dispares e afstadas da timorense". Os documentarios do David Attenborough sobre a vida selvagem em Africa tambem eram sobre uma realidade muito distante da minha, mas so me fez bem saber sobre essa realidade. Tambem vi filmes e documentarios sobre a ida do homem a lua (um lugar muito afastado da periferia da vila de Ilhavo onde eu morava) e isso abriu-me os horizontes. O meu filho vai ser criado em Timor e eu quero que ele saiba sobre o que passa no resto do mundo e que nao fique fechado num gueto cultural e noticioso em que a televisao so fala sobre o que passa aqui em Timor!

Ken Westmoreland sábado, 28 de fevereiro de 2009 às 18:52:00 WET  

A realidade timorense é que os timorenses tiveram exposição às realidades de outros países. Se não estivessem a olhar esta programação brasileira no português original, estariam a olhá-la dobrado em indonésio.

Tudo das notícias no Telejornal de TVTL é acerca de Timor Leste (o que dissesse o PR hoje, o que dissesse o PM hoje...)

À outra extrema, as primeiras notícias do Telejornal de RTP (retransmitido na TVTL) são exclusivamente acerca de Portugal.
É extamente o mesmo boletim que veria em Portugal. E chama-se RTP 'Internacional'?

O canal Euronews é disponível em Timor Leste via satélite, portanto não seria dificil para gravar as notícias, e dobrar um comentário em tétum.

Entanto, não seria a verdade para dizer que as notícias da media indonésia são necessariamente de relevância ou interês aos timorenses também - li uma artigo em Suara Timor Lorosae acerca do lançamento de voos diretos entre Abu Dhabi e Estambul.

Margarida sábado, 28 de fevereiro de 2009 às 19:13:00 WET  

JP,

para ser franca, não vejo a RTPi porque, para além de ver pouca televisão, o canal não me seduz. Assim, pelo que leio, pelo que pessoas como tu e o Ken contam, o panorama é realmente mau. Assim, nunca defendi nada do género em prole disto ou daquilo. Reconheço que seria bom ter soluções rápidas, ideias que pudessem contribuir positivamente neste campo que temos de certo modo, debatido.

As telenovelas, não me dizem nada de especial. Lembro-me de algumas que coincidiam com a minha hora de almoço quando era estudante do liceu e até depois. Naquele dia-a-dia em que a família não se consegue encontrar.

Algumas novelas têm a qualidade que referes, concordo. Importa saber história universal e humana - sem qualquer dúvida.

Sobre a realidade timorense, que conheces seguramente melhor do que eu, responder-te-ei posteriormente para explicar o que queria dizer e para responder ao exemplo que dás. Por uma questão de raciocínio, neste momento, avanço.

Um assunto que naturalmente me toca, é a questão do teu filho, das crianças em geral. Não por ser teu filho, naturalmente.

Lamento tanto que o mundo assim seja ... sei que é tão difícil proporcionar às crianças e jovens um alimento óptimo, em todos os sentidos ... Idealista. Defino-me assim por força das circunstâncias ... tudo isto para te dizer que sou solidária com o que dizes: a comunicação deve permitir o acesso à informação e ambas devem ser livres. Permitir ao ser humano um desenvolvimento total (que pena sentir que o termo deveria ter aspas...) ... harmonioso, livre. Gratuito, (.....).

Também não conheço nada, a não ser o que pessoas como tu contam, sobre a TV timorense. É, pelo que percebi, uma área tão carente!!!

Voltando às novelas ... o povo português é um exemplo, como já referi, de uma cultura efémera, nem sei como dizer ... vivem esse tipo de realidade e não me parece que estejam capazes, na sua maioria, de descer à terra e perceber meia dúzia de coisas simples tais como: dois carros dá prestígio; roupa na moda é personalidade; revistas cor-de-rosa são cultura; etc etc etc ...

Peço desculpa pelo pessimismo aparente acerca deste jardim à beira do colapso (ou já imerso em águas bem turvas) e ... por ter muito receio quando vejo tomadas de posição num país como Timor, pelo qual me apaixonei sem verdadeiramente conhecer, semelhantes àquelas que vi acontecer por aqui.

Televisão é dispensável a não ser que seja acompanhada. Isto, na minha perspectiva, tanto serve para Pais como para um País.

Obrigada pela tua participação e desculpa-me pelo à vontade com que me refiro a ti. Não implica desrespeito, muito pelo contrário.

Grata,
M.

Margarida sábado, 28 de fevereiro de 2009 às 19:16:00 WET  

Adenda ou emenda :-)

...leia-se então: "tais como: dois carros não dão prestígio; roupa na moda não é sinónimo de personalidade; revistas cor-de-rosa não são cultura; etc etc etc ... "

Margarida sábado, 28 de fevereiro de 2009 às 19:26:00 WET  

Ken,

os timorenses tiveram exposição às realidades de outros países mas infelizmente, penso, sem ter direito a opção ... compreendo o que diz ... talvez um mal menor esta coisa e ... sim ... talvez seja! Assunto delicado este, não é?


O nosso telejornal também seria assim por vontade dos governantes mas ... como tenho péssima impressão do governo português e boa impressão do timorense penso que, não leve a mal :-) mais uma vez o mal é menor!

OK, se tb têm que aturar, leia-se, ver as notícias deste tal jardim .... My God ... a coisa será certamente desmotivante!!!!!

sobre a RTPi, como disse ao João Paulo Esperança, pouco sei a não ser que não me desperta interesse ... até já me assustei ao fazer zapping!

A euronews é realmente boa! Não acessível a todas as pessoas, suponho, mas, excelente! concordo com o que sugere! Mas lá está ... falamos destas coisas e quem somos nós ... enfim, desistir não é o lema!

Ora sobre os voos!!!! Bem que queria saber mais! Já andei a investigar se ... compensará 'apanhar' o avião em Madrid? Ir para Londres e de lá decidir o resto??? aí, agradeço a sua ajuda (não só aí!).

Abraço reforçado pela nossa conversa anterior.
M.

Ken Westmoreland sábado, 28 de fevereiro de 2009 às 22:00:00 WET  

Esta mensagem no blogue Rai-Ketak descreve perfeitamente a situação.

The other side of the Globo February 22, 2009

Not since the flight of the Portuguese court to Rio in 1807 has Brazil been so important to Timor. Welcome news, this “Carnaval” in Dili, with its mix of Ivete Sangalo and trio elétricos. I even tip my hat to Gil Alves. Would have been fun to join in.

I remember noting the irony of watching a Brazilian novela, dubbed in Indonesian, on satellite television in Maliana in 2003. In fact it was a novela that helped me better my Portuguese as a student in Brazil in 1999.

Dubbed novelas have helped a generation of children learn their first words in Indonesian, across Timor.

I just want to say “parabens” to those who finally realized that Brazil can help Timor learn Portuguese, not through bilaterial aid, but by making its pop culture more accessible. (I will not be baited into talking about language. Portuguese was the choice, then it has to be made to work.)

It has been obvious for the longest time that Timorese children were not going to learn Portuguese from the classroom alone.

Their older brothers and sisters are busy listening to Brazilian country music - caipira, singing words they do not know the meaning of. Anyone who has ridden on a bus in Timor (oops I guess that excludes the people who make the decisions) would know that Chitãozinho & Xororó and Leandro and Leonardo have done more to promote Portuguese in Timor than anybody else.

So great news that TVGlobo’s world famous soap operas are going to hit Timorese airwaves and Dili will parade in Carnaval.

And by the way, I also know quite a few Timorese also eager to soak up Brazil’s “social technology” — its dynamic social movements and forms of self-organization — can the embassies who funded Carnaval get behind supporting that too?

Margarida sábado, 28 de fevereiro de 2009 às 22:11:00 WET  

querido amigo - se é que o posso tratar assim

Talvez se juntarmos todos os esforços ... a experiência de cada qual, os seus conhecimentos científicos, a adaptação ao momento real, colaboração do e com o governo ... talvez assim ... o que acha?

Anónimo,  segunda-feira, 2 de março de 2009 às 00:39:00 WET  

Desculpe voltar a chatea-la. Espero que nao leve a mal...
Penso que uma telenovela historica, "luso-timorense-australo-indonesia-brasileira"(em termos de producao), uma historia ficticia com os componentes caracteristicos de uma novela, mas que espelhasse de algum modo a realidade timorense ao longo do periodo descrito, com musica timorense mas falada em portugues e tetum poderia ser uma iniciativa mais cara mais mais eficiente nesta batalha que eh a re-introducao da Lingua Portuguesa em Timor. Ha varios problemas, desde logo o financiamento, seria pois necessario persuadir investidores.
A materia-prima para a historia esta por ai: eh a historia de qualquer timorense (e todas as historias pessoais que conheco davam telenovelas que fariam corar de inveja o melhor dos guionistas brasileiros).
Margarida Goncalves

Enviar um comentário

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP