"Where The Sun Rises" - RTP1, Sábado 21 de Junho (23:40)

>> 20080621

A Journey of Forgiveness, by Ci'en, 10 Sep 2007
Where The Sun Rises

"The story of East Timor’s struggle for independence is inextricably intertwined with the legacy of its first President, Xanana Gusmão, a guerilla that led the 24-year liberation war against Indonesian occupation of East Timor, 7 of those years from a prison in Jakarta. His extraordinary life is one that could easily have been shrouded in feelings of bitterness and hatred, but as the film Where The Sun Rises shows, President Gusmão displays courage and grace under fire, believing in the power of peace and forgiveness to repair his ravaged nation.

Where The Sun Rises is an exploration of the nature and power of forgiveness, and its potential for freeing lives. It is the first film to be fully narrated by a Head of State, a remarkable triumph for director, Grace Phan. I had the opportunity to pick her brains on her working relationship with President Gusmão and the stories of the Timorese that left their indelible mark on her soul. MORE »

9 comentários:

Anónimo,  domingo, 22 de junho de 2008 às 01:44:00 WEST  

EM DESTAQUE - Hoje na RTP 1

"Nota: A RTP é imensamente correcta ... note-se que a legendagem do filme (para português) tem "autores" no entanto, certamente para se desvincular da Santíssima Trindade (será?), os Exmos Senhores decidiram dar o dom da transmutação a Paula Fidalgo."

O sr. Fragoso não tem a ver com a maratona das 200 horas por Timor? Lá deve ter as suas razões ...

Anónimo,  segunda-feira, 23 de junho de 2008 às 17:21:00 WEST  

Além do mais, estávamos à espera de ver a versão integral do documentário e "brindaram-nos" com uma versão reduzida, de 5o minutos, a qual não contém os belíssimos poemas de Xanana, ditos por ele mesmo, o que tira bastante impacto ao filme...

Questões economicistas falaram mais alto, certamente...

Lamentável!

Anónimo,  terça-feira, 24 de junho de 2008 às 01:03:00 WEST  

Se a RTP nao mostrou o filme inteiro entao deu cabo do filme.
O filme por inteiro e' extraordinario.

Anónimo,  terça-feira, 24 de junho de 2008 às 13:56:00 WEST  

A RTP deu claramente cabo do filme!

Para usar palavreado barato, manipulou-o.

Porque razão a RTP não passou o filme em duas partes? Economia, quando muito, dos conteúdos... "censuraram" e ponto. E não foram só os poemas, de ínicio e final, foram também coisas importantíssimas do contexto em várias partes do filme. Cirurgicamente censuradas.

Pode ser que a concorrência o passe na totalidade... era tão simples quanto isso.

Mas não há problema. Espero que não tarde o filme, por inteiro, possa ser visto em Portugal.

Moriae terça-feira, 24 de junho de 2008 às 20:39:00 WEST  

Tenho pena ... as pessoas têm necessidade de falar anonimamente!
Mesmo assim, é sempre melhor saber que podem falar.
Solidariedade,
m.

Lenalorosae,  quarta-feira, 25 de junho de 2008 às 00:53:00 WEST  

Pois... relativamente à "truncagem" do filme, à qual somos totalmente alheios, também ficámos chocados e muito desapontados!

Foi um pena que se tenha prejudicado a divulgação de um belíssimo filme com a exibição de uma versão mais curta, mais 'pobre' e, certamente , mais barata!...

Já para não falar do verdadeiro "atentado" aos autores da tradução e legendagem desta versão portuguesa, que viram o seu trabalho pura e simplesmente usurpado por uma tal de Paula Fidalgo, sem qualquer justificação ou aviso prévio por parte da RTP!...

Mas, dessa matéria, trataremos em sede própria, que não aqui neste espaço, apesar de tudo, "limitado".

Parabéns à Grace Phan, realizadora do documentário, pelo excelente trabalho, que levou 3 anos a ficar concluído!

Apesar de já o termos visto e revisto, vezes sem conta, é sempre uma grande emoção que nos explode no peito ao rever tão belas e tocantes imagens e palavras!...

Helena Espadinha

MHP,  quarta-feira, 25 de junho de 2008 às 00:59:00 WEST  

Um excelente documentário!

Uma obra-prima da autora Grace Phan e do protagonista XANANA, aliás já galardoado com vários prémios internacionais, chegou finalmente ao público português.

Ficou, porém, um estranho sabor amargo, na boca, ao sabermos que não mostraram a versão completa do documentário.

A RTP 'poupa' nestas pequenas coisas, sem se perceber bem porquê...

"Razões que a razão desconhece" ?!

Para quando a distribuição e venda do DVD em Portugal?

MHP

Ana do Carmo,  quarta-feira, 25 de junho de 2008 às 01:40:00 WEST  

Para que conste, ficam aqui os poemas de XG, inseridos no contexto do documentario e que foram liminarmente "cortados":


"Esperanças Rasgadas"
Por Xanana Gusmão


Timor
Jazigo de uma alma
Que não pereceu
Nas névoas
De uma história que se perdeu
Na distância das lendas

Timor
Montanha de ossos
De uma valentia
Que bocas guerreiras
Abençoaram seus filhos
Para a perenidade dos dias

Timor
Onde a morte
só se consagra no combate
Para deter a vida
E contar a história às crianças
Que nascem para recordar

Timor
Onde as flores
Também desabrocham
Para embelezar
as sepulturas desconhecidas
‘em noites frias, infindáveis’

Timor
Onde as pessoas
nascem para morrer
pela esperança
em rasgos de dor
em rasgos de carne
em rasgos de sangue
em rasgos de vida
em rasgos de alma
em rasgos
da própria liberdade
que se alcança..
com a morte!



"Avô Crocodilo"
Escrito e lido por Xanana Gusmão

Diz a lenda
E eu acredito!

O sol na pontinha do mar
Abriu os olhos
E espraiou os seus raios
E traçou uma rota

Do fundo mar
Um crocodilo pensou buscar o seu destino
E veio por aquele rasgo de luz

Cansado, deixou-se estirar
No tempo
E suas crostas se transformaram
Em cadeias de montanhas
Onde as pessoas nasceram
E onde as pessoas morreram

Avô Crocodilo

- diz a lenda
e eu acredito!

É Timor!


Ana do Carmo

Anónimo,  quarta-feira, 25 de junho de 2008 às 06:00:00 WEST  

E' realmente triste que o filme nao foi mostrado por inteiro.

A versao da RTP e' de 50 minutos enquanto que a versao original completa e' de 80 minutos.
Isto e', a RTP cortou 30 minutos de filme e e' impossivel fazer-se isso sem cortar muito do conteudo.

Como disse anteriormente o filme por inteiro e' extraordinario, espectacular.

Os poemas que o proprio Xanana le em Portugues logo no principio do filme acompanhado de umas imagens incriveis criam uma certa atmosfera para a visao do resto do filme.
No final ve-se Xanana sentado na praia do ilheu de jaco (uma praia belissima de areia branca fina) a pensar como que a ponderar o futuro.
Nao sei o que a RTP mostrou mas com menos 30 minutos do original nao pode ter sido muito fiel.

E' uma grande pena que os irmaos Portugueses nao tenham sido oferecidos a oportunidade de ver o filme por completo.
Ficaram a perder.

Enviar um comentário

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP