Investigação dos atentados de 11 de Fevereiro: nenhuma denúncia contra as forças policiais ou militares

>> 20080222

«Díli, 22 de Fevereiro de 2008

De acordo com informações prestadas pelo Procurador Geral da República, Longuinhos Monteiro, até ao este momento, desde a declaração do estado de sítio, não foi registada nem apresentada no Ministério Público qualquer denúncia contra as forças policiais ou militares.
Longuinhos Monteiro recordou que, aa sequência dos atentados de que foram alvo o Presidente da República e o Primeiro Ministro e as pessoas que lhes prestavam segurança, no passado dia 11 de Fevereiro, e visando levar a cabo toda a actividade investigatória, o Ministério Público delegou competências na UNPOL no sentido de investigar os factos relacionados com os referidos ataques, face à mobilidade dos mesmos.
Isto sem que a Procuradoria Geral da República descure a fiscalização e supervisão de actos processuais que a UNPOL não podem realizar, nomeadamente, em casos de pedidos de mandados de busca e de detenção fora de flagrante delito.
Segundo o PGR, foram emitidos diversos mandados de notificação, tendo sido ouvidas cerca de vinte pessoas pela UNPOL. Paralelamente, foram emitidos pelo Juiz seis mandados de detenção aos suspeitos, sob a promoção do Ministério Público, e foi cumprido um deles, tendo sido constituída arguida uma pessoa.
Foram ainda emitidos mandados de busca e apreensão às residências de pessoas referenciadas como suspeitas, visando apreender objectos que tenham ligação aos factos ocorridos no dia 11 de Fevereiro.»

5 comentários:

Laurentina sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 00:30:00 WET  

http://macua.blogs.com/moambique_para_todos/files/timor_e_outras_vergonhas_do_imprio.pdf

quando tiveres um tempinho lê isto aqui...é uma vergonha é pena que nem todo o mundo queira saber.
Fiquem bem

Margarida A. sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 07:59:00 WET  

Laurentina,

é forte ... radical ... muita revolta ... não tenho conhecimentos suficientes nem estudei o texto de modo a poder emitir qualquer ideia fundamentada pelo que me fico por algumas impressões. Assim, bem sabemos que há muito erro, atrocidade, injustiça, crime ao longo da história. Que parece que esses até são características do ser-Humano já que em tantos milhares de anos continua a repetir tudo isso. Eu, pessoalmente, tenho vergonha por ter antecessores, em espaço geográfico, espero que não directamente, que escravizaram, colonizaram, roubaram e mataram. Sou libertária ... não aceito a falta de liberdade ...ou custa-me muito porque infelizmente, é muito difícil ser-se minimamente livre.
Quanto a Timor, gosto do seu povo por quem nutro um carinho enorme. Acredito que por lá há pureza e que apesar de muitos corruptos que por lá andam as gentes e a terra são muito mais 'limpas' apesar de tanto sangue derramado. Humanamente, gostava de ajudar porque como professora sei que o posso fazer. E essa é a minha vocação... Se os nossos políticos não nos deixam ajudar dessa forma, na saúde, na educação então ... raios os partam ...
Acho que me desviei ... Para concluir, há uma frase do Xanana que tenho citado por aqui e que me tem acompanhado nos últimos tempos: há que perdoar, só assim teremos paz. Pela minha vida e pelo que vejo da vida dos outros, sei que é mesmo isso. É claro que não esquecemos mas ... sofre-se menos e cresce-se por dentro.
Bjinhos!

Anónimo,  sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 15:00:00 WET  

Nao sei se a margarida ja viu o filme sobre Xanana Gusmao intitulado "A Hero's Journey".

Nesse filme (em Ingles) podemos perceber quem Xanana Gusmao realmente e'.

E' um filme incrivel e inspirador sobre o perdao e a reconciliacao com narracao do proprio Xanana.

Atraves deste filme podemos comecar a perceber muitas das atitudes de Xanana relativamente a reconciliacao se antes nao o percebiamos.
Alen disso e' um filme que revela tambem a beleza das paisagens de Timor.

Ja para o fim da fita Xanana vai a Lospalos visitar um velho amigo dos tempos da resistencia que tinha ficado com ambas as maos completamente destrocadas por um milicia da vila vizinha em 1999. O velhote da-nos todos uma licao de humildade e perdao dizendo que so se vingaria se ao faze-lo pudesse recuperar as suas mao e ressuscitassem os martires da resistencia. Nao sendo isso possivel ele perdoava o culpado e aceitaria reconciliar-se com ele pois nao se ganha nada com a vinganca.

Xanana diz que este velhote e' uma grande fonte de inspiracao para ele.

Margarida sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 15:24:00 WET  

Caro anónimo/a,

se lhe responder citando Xanana, tornar-me-ei 'transparente' no que penso?

"Forgiveness, to me, means peace of mind. If we can forgive, we liberate ourselves from all bad sentiments… of revenge… of self-flagellation." (A Hero's Journey)

Estou sem palavras. Porque acredito que há ideias e sentimentos que são lidos e entendidos sem serem escritos.

'Esse' velhote podia bem ser uma visão de um Xanana numa outra vida humana. Acredito na sabedoria dos anciãos e daqueles a que apelido de 'magos'. O filme transmite muito amor.

Obrigada

lenalorosae domingo, 24 de fevereiro de 2008 às 12:09:00 WET  

O documentário é relamente fantástico, é tudo quanto já disseram e ainda mais!...

A versão legendada em português está pronta, aguarda (com pouca esperança) que haja vontade por parte da RTP de o difundir em Portugal e que haja algum editor que o ache suficientemente "comercial" para o distribuir em Portugal...

Pode ser que sim!...

Enviar um comentário

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP